E finalmente chegou o dia. Na madrugada de quinta-feira em Portugal (1h30), o Flamengo defende uma vantagem de 1-1 na meia-final da Libertadores da América contra o Grémio, no Maracanã. O encontro tem um duelo bastante particular: entre os treinadores das duas equipas, Jorge Jesus e Renato Gaúcho.

Tudo pronto para o jogo mais esperado do Brasil este ano. Após o empate a um na Arena do Grémio, o Flamengo e a equipa gaúcha regressam ao campo para o tudo ou nada. O vencedor vai defrontar na final o River Plate (eliminou o rival Boca Juniors e alcançou a sua terceira final em cinco anos), em Santiago do Chile, no próximo dia 23 de novembro.

O encontro de hoje marca no entanto um duelo de palavras entre Jorge Jesus e Renato Gaúcho. Tudo começou quando o português afirmou há algumas semanas que o Flamengo jogava o melhor futebol do Brasil, o que foi contrariado pelo técnico dos gremistas.

Desde então, aqui e ali, os dois treinadores sempre puxaram dos galões, embora de forma educada e sem passar o limite da tolerância. No entanto, a verdade é que o Flamengo, com 10 pontos de vantagem na liderança do campeonato brasileiro, está a maravilhar o país, com o trabalho e a postura competitiva de Jesus a ser muito elogiado pela imprensa brasileira, que aproveita a ocasião para questionar o profissionalismo dos treinadores do país.

Sem alcançar a final da Libertadores há 38 anos (o Grémio está pela terceira vez consecutiva nas meias-finais da Libertadores), o Flamengo tem um dos maiores jogos da sua história, um encontro que está a mexer com o país e com Jesus, que, no passado domingo, respondeu indiretamente ao seu homólogo do Grémio, que, a 23 de setembro, afirmou que Jesus tinha ganho apenas «dois, três títulos portugueses. E só! Está com 65 anos e nunca conquistou nada fora do país (…) Com a equipa que tem, é obrigado a vencer. Mas queria ver ele fora do Flamengo ou do Palmeiras…»

«Disseram que conquistei três taças. Eu tenho 15 taças», afirmou Jesus após o triunfo sobre o Fluminense por 2-0, para o Brasileirão.

O técnico português, 65 anos, fez assim questão de mostrar o seu passado, desde o seu primeiro título, na temporada 1991/92, com o Amora, para a Segunda Divisão B de Portugal, até o mais recente troféu, a Supertaça da Arábia Saudita, com o Al Hilal, em 2018. Pelo meio, entre outros, três campeonatos em Portugal com o Benfica, em 2009/10, 2013/14 e 2014/15, e a Taça Intertoto, com o Sporting de Braga, em 2008.

Já Renato Gaúcho, com 57 anos, tem sete títulos, entre eles duas Copas do Brasil (Fluminense e Grémio, em 2007 e 2016, respetivamente) e, principalmente, a Libertadores da América, em 2017 e a Recopa, em 2018.

Ao que tudo indica, neste duelo particular entre os treinadores (e será muito interessante escutar o que cada um vai falar após o jogo…), Jesus está muito próximo de somar ao seu curriculum o Brasileirão, um título que Renato Gaúcho nunca conquistou, Renato Gaúcho que, desde que assumiu o Grémio, abdica da disputa do principal campeonato do país para apostar todas as suas fichas nos jogos eliminatórios da Copa do Brasil e da Libertadores, uma estratégia que, até hoje, tem dado certo.

Flamengo e Grémio fazem o jogo do ano no Brasil

No entanto, caso Jesus ganhe esta noite, a postura de Renato Gaúcho será colocada em causa, algo que já está a acontecer na imprensa brasileira, que, em alguns programas, já afirmam que os treinadores brasileiros estão a “torcer” para que o Grémio alcance a final da Libertadores, para assim Jesus poder ser criticado na sua estratégia de não ter poupado os seus jogadores ao longo do Brasileirão.

Portanto, no Maracanã, joga-se muito mais do que a presença na final da Libertadores. Joga-se uma alteração do próprio futebol brasileiro. Ou não…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here