Duas seleções europeias, uma da Oceania e outra da América do Sul. Na China, o Mundial de Basquetebol vive os seus últimos dias com duas meias-finais que prometem empolgar os amantes da modalidade, mesmo com a surpreendente eliminação dos Estados Unidos. Espanha-Austrália e França-Argentina são dois jogos absolutamente imperdíveis.

Na preparação para o Mundial de Basquetebol, a Austrália já tinha avisado que os Estados Unidos não eram invencíveis, pelo menos os Estados Unidos que se apresentaram na China. A verdade é que essa vitória foi confirmada pela França, que, contra os norte-americanos, realizaram um encontro de sonho (89-79), principalmente os gauleses Rudy Gobert e Fournier, dois jogadores que a Argentina obrigatoriamente terá de focar na partida de sexta-feira, caso contrário a passagem para a final poderá ser uma mera miragem.

Argentina que também eliminou outra das seleções favoritas, a Sérvia (97-87), num encontro onde brilhou uma lenda da modalidade, Luís Scola, que, apesar dos seus 39 anos, foi fundamental no triunfo dos sul-americanos (marcou 20 pontos). Refira-se que o argentino, na China, alcançou o segundo lugar do ranking dos melhores marcadores de todos os tempos da História dos Mundiais, apenas atrás do brasileiro Oscar Schmidt.

O brasileiro Oscar Schmidt é o atleta com mais pontos em Mundiais
O brasileiro Oscar Schmidt é o atleta com mais pontos em Mundiais

Espera-se um encontro bastante equilibrado. Na Betclic, a aposta “Margem de vitória – Arg. 6-10” (ou seja, a Argentina vence a partida com uma margem pontual entre 6 e 10 pontos) apresenta uma odd de 7,63 euros. Portanto, para uma aposta de 10 euros, teremos um lucro de 66,30 euros.

Espanha e Austrália jogam a final antecipada

A outra meia-final, que também será realizada na sexta-feira, vai ser disputada entre Espanha e Austrália, que muitos acreditam ser a final antecipada do torneio.

Na antecipação do encontro, Sergio Scariolo, admitiu que preferia defrontar a República Checa nas meias-finais, que os australianos eliminaram por 82-70 (a Espanha passou pela Polónia por 90-78).

No entanto, o selecionador espanhol, que destacou a altura e a composição física dos seus rivais de amanhã, mostrou confiança no triunfo, que colocaria novamente a Espanha numa final de um Mundial, após assegurar a sua presença em mais uma edição dos Jogos Olímpicos, algo realmente de assinalar, já que, na China, apenas os dois melhores europeus na competição asseguravam a qualificação.

Já a Austrália pretende mostrar que os bons resultados dos últimos tempos não são algo casual. No Mundial da China, os homens da Oceania já garantiram, além da sua qualificação para Tóquio 2020, a melhor posição de sempre na competição, já que o seu melhor resultado era os quartos-de-final (foi quinta em 1982 e 1994).

Muito da esperança da Austrália está nas mãos do base Patty Mills, dos San Antonio Spurs, um dos nomes do Mundial, que, até ao momento, apresenta médias de 22 pontos e 4 assistências. É ainda o jogador com mais pontos na prova das quatro seleções que estão nas meias-finais.

Recorde-se que, há três anos, a Espanha ganhou a medalha de bronze nos Jogos do Rio após derrotar precisamente os australianos por 89-88.

As campanhas da Espanha nos Jogos Olímpicos
As campanhas da Espanha nos Jogos Olímpicos

Mais experiente, a Espanha poderá alcançar a sua segunda final depois do Mundial 2006, quando conquistou até ao momento o seu único torneio. No entanto, os espanhóis terão um desafio enorme, já que os australianos estão muito confiante e acreditam que o momento chegou para eles. Na Betano, a aposta “Total de Pontos (incl. Prolongamento) – Espanha Ganhar por 6-10” apresenta uma odd de 4,20 euros. Portanto, para uma aposta de 10 euros, teremos um lucro de 32 euros.

De referir ainda que a França é a única seleção que perdeu neste Mundial das quatro seleções presentes na prova (diante da Austrália, por 98-100). Das quatro, só Espanha (2006) e Argentina (1950) venceram a competição.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here